Construção


O leque é um dos
elementos mais importantes para um violão clássico entre tocabilidade, afinação, conforto, equilíbrio, timbre e sem dúvidas, beleza, pois, além de proporcionar estabilidade e resistência ao tampo, ele também ajuda a definir o timbre e
acústica do instrumento. Cabe ao luthier balancear e ajustar tanto a espessura do tampo como a das barras harmônicas para obter clareza e volume de som. Ele, sob meu ponto de vista, irá literalmente esculpir o som para atingir a perspectiva de um grande violão de concerto.

Há uma grande variedade de leques entre diversas escolas de tradição na luteria.
Acredito que a maioria vem da escola Torres/Hauser que definiu seu som e estilo através de gerações. Eu adotei este leque com algumas variações, que alcancei através de muita pesquisa para assim obter um som peculiar de grande volume, clareza, equilíbrio e timbre
harmonioso.

Os violões Piraja oferecem grande clareza, definição, balanço e ‘sustain’ com um som único e moderno, seguindo a tradição Torres/Hauser a qual proporciona o amadurecimento e conseqüente melhora do som diariamente.

Um violão de concerto é feito sob medida e com as melhores madeiras, para agradar e satisfazer os artistas de mais alto nível. Meus violões seguem o padrão clássico, mas com um toque moderno em seu design e construção.

Composição:

Tarraxa: schaller,gotoh ou rubner
Nut e rastilho: osso
Braço: cedro brasileiro ou mogno com reforço em  marfim
Escala: ébano 630mm, 640mm, 650mm ou 660mm
Trastes: dunlop, gotoh ou van gent
Tampo: abeto alemão, engelman, sitka ou cedro canadense
Laterais e fundo: jacarandá indiano ou brasileiro, maple, cipreste ou imbuia
Frisos: jacarandá, koa, marfim, maple  e  ébano
Cavalete: jacarandá ou ébano
Reengrosso: credro brasileiro e abeto alemão
Ornamento e estrutura: cedro, mogno, maple, marfim ou abeto

Comments are closed.